Produtores falam mais sobre Marvel's Jessica Jones (e explodem as nossas cabeças)


A Marvel TV definitivamente vem fazendo o dever de casa, porque se depender de promoção e criar hype, nem mesmo a estreia de Agents of Shield me animou tanto quanto eu ando animada para assistir Jessica Jones. Mesmo. Ainda mais depois das novas declarações dos produtores da série.

Os produtores Melissa Rosenberg e Jeph Loeb (que também é o cabeça da Marvel TV) andaram falando sobre a nova série da Netflix, detalharam a jornada de Jessica Jones, e destacaram o peso do herói Luke Cage, o vilão Homem-Púrpura e da Gata do Inferno nesse processo.

“Você realmente entende quem ela é e de onde ela veio, e a gente se pergunta o que faríamos em uma situação como essa”, disse Loeb. “O espectador tem uma conexão em um nível que não tem nada a ver com poderes, nada a ver com trajes, nada a ver com histórias em quadrinhos. Tem a ver com ser humano e se perguntar ‘O que eu faria’ se isso fosse comigo”.

É exatamente isso que eu sinto falta no universo dos heróis. Certos casos feito o de Jessica Jones pedem essa abordagem mais humana, que torna a ficção, real, não porque a sua vizinha tem fator de cura acelerado ou o porteiro do seu prédio sabe voar, mas é porque, mesmo sendo situações fictícias, você se sente inclinado a pensa exatamente nessa pergunta: O que eu faria se isso fosse comigo?

Foi assim que Agents of Shield me conquistou, por exemplo. E foi por isso que com algumas exceções, eu sempre mantive uma distância estratégica dos falados Vingadores. Mas enfim. Melissa e Jeph prometem uma jornada emocionante e desafiante na primeira temporada onde é claro, a heroína vai apanhar bastante no caminho. Não dava para esperar diferente.


Sobre o Homem-Púrpura


A dupla sugeriu que Killgrave, o Homem-Púrpura, tem semelhanças com o Rei do Crime, que apareceu na primeira temporada de Demolidor. Em Jessica Jones, o personagem que será vivido por David Tennant (Doctor Who) tem tudo para roubar a cena ao estilo do Wilson Fisk de Vincent D'Onofrio, que brilhou ao retratar um vilão que sagazmente divide o julgamento moral dos espectadores.

“Acho que uma das coisas que Melissa fez muito bem é que há momentos em que há dúvidas sobre o que o vilão está fazendo e você vai ser desconfortavelmente de acordo ou não tanto contra o que ele está fazendo”, disse Jeph Loeb. “Até que mais tarde, você vai dizer ‘Ah não, ele realmente é o vilão. Ele realmente é uma pessoa horrível’”.

Isso é interessante. Foge da filosofia de moral preto/branco e abraça a "moral cinzenta". A mesma coisa também aconteceu em Agents of Shield com Brett Dalton interpretando o agente duplo, psicopata e ex-atual-Hydra, Grant Ward, mas diferente de Wilson Fisk, Grant Ward é muito, mais muito irritante mesmo. Já em David Tennant eu vejo potencial para evitar isso.


E o Luke Cage?


Ficaram no vai-não-vai e no final anunciaram um leve crossover entre Jessica Jones e Demolidor. Achei tão leve que sinceramente, nem considero crossover propriamente dito. Já Luke Cage, por outro lado, vai ganhar série no futuro, mas vai precisar inevitavelmente aparecer em Jessica Jones, dado o status do seu relacionamento (marido) com a heroína.

Sobre isso, Loeb elogiou a decissão da showrunner de dar uma oportunidade para os espectadores conhecerem Luke Cage, antes da sua própria série. "Não seria Jessica Jones se você não entendesse como Luke afetou sua vida”, o que faz todo sentido. Lembrando que o herói será vivido pelo ator Mike Colter.


A relação entre Gata do Inferno e Jessica Jones


Finalizando, Jeph Loeb falou sobre a inclusão de Trish Walker, a Gata do Inferno, na trama da série; personagem interpretada por Rachel Taylor: ela será aliada de Jessica Jones! Três vivas e 50 suspíros aliviados, porque acabamos de evitar um dos maiores estereótipos da vida.. O que mulheres são destinadas a serem rivais, não amigas.

“Melissa falou sobre o tipo de personagem que ela queria que (Jessica) tivesse como amiga e que era importante que houvesse alguém em sua vida que fizesse tudo parecer mais fácil – mesmo que não seja”, disse o produtor.

Entretanto, a personagem deve sofrer algumas alterações em relação aos quadrinhos, porém os produtores acreditam que os espectadores vão entender e aceitar as mesmas, em especial sobre a ocupação de Trish como modelo (o que eu não vejo problema algum). Além disso, Loeb elogiou a habilidade da showrunner em criar uma amizade realista e profunda entre as duas principais personagens femininas da série.

Jessica Jones estreia no final de 2015, mas agora vocês entendem por que as minhas expectativas com essa série são tão altas, que dá até medo? É a Marvel, a Marvel atendendo a maioria das minhas orações de uma vez só.

Fonte: Minha Série

Sobre Bruna

Nerd preguiçosa, pseudo metalhead, cristã, metida a jornalista, mas formada em publicidade. Faz-tudo, sofre-com-tudo, nunca-dorme-direito. Expert em virar criança com Pokémon e Saint Seiya.

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu recado! Mas lembre que spams, ofensas e comentários anônimos não serão aprovados.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.