Olá, como estão? Mesmo com alguns problemas de rede e o tempo que passou, enfim vamos a nossa análise e conto sobre a nossa primeira cobertura de evento que foi o dia 11 de outubro da Brasil Game Show, popular BGS para os íntimos. Além desse post, futuramente teremos alguns materiais no nosso canal e mais alguns posts com material registrado por lá. Sem delongas, vamos ao relato.

A BGS melhor organizada

Preciso confessar que é a segunda vez que vou no evento, porém, é a primeira como trabalho. Minha primeira experiência foi como visitante em 2013 junto com a Rinoa e nós sofremos muito, mas muito mesmo com as filas. Sim, eu sei que um evento dessa proporção e magnitude vai gerar filas, porém, elas poderiam ser menores por alguns detalhes da organização. No ano passado lembrar disso me desanimou de ir. Esse com a oportunidade de estrearmos nossas coberturas, eu fui com tudo para ver as mudanças.


Esse ano a feira continuou no Expo Center Norte, zona norte de São Paulo, entre os dias 8 à 12 de outubro, mas para 2016 teremos mudanças de data e local conforme o organizador do evento, Marcelo Tavares, revelou ao pessoal da IGN Brasil. O evento será entre o dia 1º à dia 5 de Setembro no São Paulo Expo (antigo Centro de Exposições Imigrantes), confira o depoimento de Tavares:
"A mudança de local visa oferecer mais conforto ao visitante, já que o espaço será maior. Isso permitirá termos mais estandes, que por sua vez poderão ser maiores. A praça de alimentação será maior e separada do evento, o que trará melhor circulação. O pé direito, a altura do local, permite também que os estandes sejam maiores como na E3, por exemplo. Poderemos colocar faixas de publicidade dos games no lado de fora do pavilhão, tal qual acontece nas feiras internacionais"
Como 2016 está longe, vamos voltar ao grande evento desse ano. As filas estavam lá? Sim, porém, mais amigáveis. Os estandes conseguiram aumentar um pouco a distribuição de máquinas e tínhamos muitas opções nas quais jogavam duas pessoas por vez como nos corredores de Street Fighter V o qual pudemos testar um pouco e estreei com 1-0 no currículo jogando com a Laura conforme o spoiler no nosso instagram.


Dentre as empresas desse ano as rivais Microsoft e Sony estavam com stands gigantesco como tem sido o padrão delas desde 2013 e com grandes atrativos como Rash disponível (conseguir testar o danado também) nas estações de Killer Instinct na Microsoft e Street Fighter V nas estações da Sony. Cada estação indicava o tempo médio de espera da fila, então cabia a você encarar ou não.

A distribuição dos estandes estava boa mas senti falta da disposição como ruas, assim como foi em 2013. Estava um pouco mais fácil perder a direção esse ano graças a praça de alimentação separando dois pavilhões e o da Warner deixando um corredor "morto" com seu paredão de destaques com FIFA 16, Street Fighter V e LEGO Avengers.

Os arcades e eu

Esse contamos com muitos destaques entre os jogos e apesar dos títulos AAA roubarem a cena, outra área roubou minha atenção. Antes de falar dela, vale lembrar os principais jogos da feira que contou com títulos como FIFA 16, Assassin's Creed Syndicate, Halo 5: Guardians, Star Wars Battlefront, Street Fighter V, Need for Speed, Forza Motorsport 6, The Division, Tom Clancy's Rainbow Six: Siege.

Além dos grandes nomes do ano, a feira contou também com importantes disputadas de eSports como a Brasil Game Cup, a Copa do Mundo de Just Dance e tão aguardada etapa brasileira da Capcom Pro Tour valendo vaga para a Capcom Cup no dia 6 de Dezembro na PlayStation Experience.


Na BGC a Pain Gaming sagrou-se bí-campeã do grande evendo de Dota 2, enquanto na Capcom Pro Tour Brasil defendemos nosso território e o jogador EF | Keoma bateu o deus Haitani na final garantindo sua vaga na Capcom Cup.

Junto a tudo isso, ainda tínhamos as opções de estandes isolados por jogos como o espaço feliz da garotada com Minecraft. O jogo foi a febre do evento mesmo com um espaço pequeno, porém, sendo o grande atrativo das vendas nas lojas. Um dos objetos mais disputado era o boneco do personagem Steve com armadura de diamante e opções de espada ou picareta. Também era possível craftar pelúcias ou itens para a garotada.

O evento foi tão grande, que para aproveitar bem, Scorpion se duplicou
Outras atrações eram espaço da Mad Catz com seu Tournament Edition 2 em diverso jogos de luta; a loja oficial da BGS com diversas opções legais de compra; espaço Youtube dando destaque ao novo Youtube Gaming; espaço da NVidia apostando forte nos mobas; Red Nose apelando com o tio Zangado (infelizmente não possível conhecê-lo no dia); e junto com as lojas de Action Figures, havia o espaço da exposição Evolução dos Videogames e o espaço (Paraíso) Arcade.

Diversos jogos que embalaram as casas de arcades, bares, e qualquer espaço que continha uma máquina, estava presente por lá e com diversos jogos da série The King of Fighters bombando mostrando que:

a) a série continua com fãs fiéis;
b) muitos saudosistas matando a saudades;
c) prova que fã da série ficou preso as edições até 2002;
d) polêmicas sempre podem existir.

Aproveitei para matar a saudade em jogos como KOF 97 e 2002; Street Fighter Ex Plus @; além de ver gabinetes como dos jogos de moto, os de corridas com as cabines interligas além de uma máquina para medir a potência do seu soco no jogo.

Visão de visitante

Como o dia era de trabalho, obviamente o foco foi cobrir o máximo possível para trazermos nossa visão, porém, não havia como não ver que finalmente as lojas resolveram aproveitar que o maior evento de videogames da América Latina, é o lugar ideal para oferecer boas ofertas ao público, cenário que não ocorreu em 2013 (salvo uma loja que esse ano, mitou muito mais uma vez).

É até engraçado comentar, mas em meio a fila das lojas esperando minha vez para pagar as compras, via outros colegas de imprensa, veículos de todos os tamanhos, passando pela mesma situação. Tirando as lojas das marcas, havia mais uma vez dois grandes varejistas do país. para não fazer merchan vamos codificar a loja da "pergunta idiota, tolerância zero" e a "loja do tio Sam". A primeira estava bem modesta nas ofertas, possuindo uma linha de camisas gamers bem legais, com preços nem tanto. Enquanto a segunda estava com diversas opções fixadas na casa dos R$19,90 e ousou demais com a oferta a seguir.

Sem medo de filas e ser feliz, colocaram em oferta o Xbox One Master Chief Collection por R$1299,90 com direito a parcelar infinitamente. Até a mão compulsiva de "sonysta" tremeu para comprar. Entre todo o que havia na feira os grandes destaques junto a essa oferta foram as peças de Minecraft; Super Mario Chess; action figures diversas com ostentação de Clouth Myth dos cavaleiros de ouro.

Balanço geral

O dia foi bem cansativo, o que significa que tivemos bastante trabalho e uma diversidade muito boa para cobrirmos. Esse ano o evento melhorou em muitas coisas e com a mudança em 2016, promete ser ainda melhor do que foi esse ano. No ano que vem estaremos lá mais uma vez e esperamos trazer ainda mais novidades do que trouxemos ano passado.

Deixo meu agradecimento ao Fernando da Rosa Arrais Comunicação pela recepção, toda atenção e ajuda para realizarmos a nossa primeira cobertura dentro da BGS. A Rinoa em realizar mais um freela nos ajudando com as imagens. Aos amigos do Comichosas afinal a zuera no transporte também foi ponto alto e especialmente a vocês leitores, que nos acompanha ao longo desses 8 anos, 5 com o novo formato e esse ano com a nova pegada. Sem vocês nosso trabalho não existiria.

Até a Brasil Game Show 2016,
R. "Wakashimazu" P.

Sobre Wakashimazu

Gamer de nascimento, guitarrista por insistência, se divide em três para dar conta de dominar o mundo da música, dos jogos e dos otakus, enquanto lida com a caixinha de surpresas chamada de vida. Pode ser encontrado no Last FM, na Live ou no fórum!

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu recado! Mas lembre que spams, ofensas e comentários anônimos não serão aprovados.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.