Eae. Mais um episódio, mais um review na faixa, cheio de tietagens, críticas e elogios a terceira temporada louca que os roteiristas vem criando para Agents of Shield. Sério. Estamos caminhando para sabe Deus o quê, mas eu só espero que seja promissor.

O oitavo episódio, "Many Heads, One Tale", explorou outro pedaço da mitologia do grande universo Marvel, teve resultados surpreendentes, e partes meio frustrantes. Eu até gostei, ressalvas à parte.

Mas vamos ao top 5:



1. Grant Ward se destacou (!)

Fico surpresa de admitir isso, mas é. Grant Ward foi um dos destaques do episódio e eu prefiro ele assim: o maníaco que enfia a faca no pescoço de um cara sorrindo, e fala de piromania na maior naturalidade.

Grandes heróis precisam de grandes vilões, e mesmo o motivo do Ward sendo uma vendetta maluca, o personagem rende mais como vilão. Nesse episódio em especial, as cenas do avião e da tortura dos capangas do Gideon foram bem sólidas.



2. Rosalind Price não é mais uma incógnita (de 100%)

Então era realmente verdade! Rosalind também não sabia de toda história, e na real era uma peça que o Gideon vinha usando. Achei bom. Esse negócio de toda temporada ter uma agência contra a Shield ficou manjado. Com isso surge uma aliada? Continuo querendo acreditar que sim.

Só achei desconfortável esse processo ter colocado Melinda May no escanteio. Quando Mack perguntou se "ninguém iria falar com ela" na hora do transporte do Andrew, eu esperava um pouco mais de consideração do Coulson, mas enfim. Tem coisas que não dá pra exigir dessa série.

Coulson e Rosalind são divertidos juntos, tem uma química boa. Espero que não estraguem isso aproximando os dois mais que o necessário.



3. A verdadeira história de origem da Hidra?

Essa sim foi a surpresa. E muito bem armada. Explicaram a origem da origem da Hidra de forma convincente, finalmente conectaram a Shield ao universo cinemático, e jogaram no ar uma expectativa enorme sobre o futuro.

O Caveira Vermelha não foi o começo de tudo! O que nós vimos em Purpose In The Machine basicamente era uma Hidra antiga, e ao que tudo indica, o astronauta Will pode ser parte importante no processo. Tem uma nova ameaça ainda maior por vir.. E vai saber se isso não conecta a série claramente a algum dos filmes?



4. O desserviço feito ao arco de Jemma Simmons

Eu não devia me surpreender com essas coisas, mas eu de fato pensei que Agents of Shield faria diferente. Não deu. Resumiram o Stress Pós-Traumático da Jemma a um artifício para fazer ela (aparentemente) gostar do Fitz de um jeito que ela sempre disse não gostar.

Pior: fizeram ela se apaixonar por um cara em condições completamente sem sentido! Atração física, uma falsa sensação de atração emocional, tudo bem. Foram seis meses insanos de condições extremas, até posso relevar.  Agora paixão? Não compro essa conversa.

Tornaram a ida a outro planeta numa viagem romântica, basicamente. Uma pena. Achei que não seria otária. Fui otária. Isso porque eu nem vou comentar o beijo com o Fitz.. Não.



5. Traz mais espionagem que tá pouco!

Gosto dos "momentos espião da série". Já tinha dito isso antes. Bobbi Morse voltando a campo ajudou nesse sentido, e os bastões "bumerangue" foram demais! Até Lance Hunter voltou a ser o idiota útil que eu vinha querendo ver de volta.

Mack também vem achando seu espaço, o que é bom. Torna o personagem mais gostável, ainda mais porque obriga a Daisy a depender menos dos poderes e a também contar com os recursos e treinamento da Shield. E o principal: a esquecer um pouco do Lincoln.


Foi um bom episódio. Me decepcionei em alguns aspectos, mas os prós foram satisfatórios. Gideon foi finalmente mencionado como membro do Conselho! Só posso comemorar.

PS: a promessa é do midseason finale da terceira temporada ser mais intenso que o da segunda, quando Skye ganhou os poderes e o Tripp morreu no processo. Superar isso não vai ser fácil, então fique comigo e juntos vamos nos abraçando e roendo as unhas.

No dia 1/12 teremos o nono, episódio, "Closure". A pausa é devido ao Dia de Ação de Graças americano. E a prévia, como sempre, já deixa o coração na mão, então oremos.

_______________
Satisfatório.
A conexão da série com o universo cinemático e a revelação do passado da Hidra prometem encrenca. E em dobro.


+ Mais momentos espiões divertidos e clássicos da série
+ História de origem da Hidra
+ Conexão da série ao universo cinemático
+ Grant Ward em modo full psicopata
+ ATCU não era exatamente uma rival

- FitzSimmons
- Coulson e o comportamento distante da May

Veja a prévia do próximo episódio:

Sobre Bruna

Nerd preguiçosa, pseudo metalhead, cristã, metida a jornalista, mas formada em publicidade. Faz-tudo, sofre-com-tudo, nunca-dorme-direito. Expert em virar criança com Pokémon e Saint Seiya.

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu recado! Mas lembre que spams, ofensas e comentários anônimos não serão aprovados.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.