Por meses eu planejei sem sucesso o review de um jogo mobile, afinal a pedra é cantada aqui no site há um tempinho: os consoles não vão morrer, mas sem dúvida o mercado de games mobile é uma das ondas do momento.

Sendo assim, que forma melhor de realizar o desejo do que falando sobre um jogo brasileiro?

Sim! A doida que vos fala teve acesso ao beta de Starlit Adventures, cujo lançamento mundial acontece amanhã (19). Tive uns dias para explorar o máximo possível e adorei. De verdade. A gaúcha Rockhead Games uniu elementos que tornam o jogo mais imersivo e divertido do que pode parecer.


Você já viu esse tipo de história antes
Bo e Kikki precisam restabelecer a paz para os “Starlits”, pois Nuru roubou suas estrelas-irmãs do céu. Durante o jogo você controla a dupla através de oito mundos, usando nove trajes com habilidades diferentes para solucionar puzzles, vencer inimigos, chefões, recuperar as estrelas e devolvê-las ao céu.

Parece Mario 64, Ristar, um pouco de Bomberman.. Certo? Certo. É um formato de história conhecido e funcional, que vai diminuir a distância entre o jogador e o jogo, pois o primeiro não vai demorar a entender o segundo.

Além disso, é possível competir online en rankings, jogar o modo Torre Infinita (que é bem legal), desbloquear desafios e colecionar figurinhas, algo que eu vou falar sobre mais à frente.


Encaixe prefeito entre música e gráficos

Starlit Adventures é bem feito, mas sem ser complicado. Os gráficos são bonitos, não pesam tanto no smartphone/tablet, e são super fofos, no real sentido da palavra. Conhece um desenho chamado Pocoyo? A semelhança visual é razoável, até.

A trilha sonora segue a mesma linha. É meio cartunesca (acho que essa seria a definição) o que torna o Starlit gostoso de jogar, porque não é cansativo.


O modo Torre Infinita é quebra-cuca

Pensa que só Mortal Kombat X tem modo de torre? Starlit Adventures também tem, e é um quebra-cuca que remete aos jogos antigos. Ele só fica disponível após as 7 primeiras fases, mas depois disso você seleciona 3 trajes diferentes e tenta ir o mais longe possível.

A parte inteligente é que: os trajes vão mudando no decorrer da torre. Começou com o indígena? Uma hora aparece a gema que ativa o saltitante. Outra hora você vai ter que decidir o caminho escolhendo o traje da esquerda ou direita. Ou seja: quebre a cuca e vá a luta.


A boa ideia das figurinhas

Cada jogo tem seu extra que cativa o jogador. O de Starlit Adventures são as figurinhas! Sim, ao longo da fase você encontra pacotes com figurinhas que vão montando artes do jogo num "álbum".

E a sensação que essas figurinhas provocam são tão infantis.. Mas digo isso como elogio. Abrir um pacote que você achou, encontrar figurinhas em sequência, a frustração das repetidas (que eu tirei uma).. É como nos tempos das figurinhas de Dragon Ball Z ou Pokémon.


Jogabilidade à moda antiga

Os controles de Starlit Adventures são objetivos e eu agradeço a Deus. Você tem que ir para os lados, cavar para descer, e tocar acima da linha para usar a habilidade do traje. Ponto. Simples como os games de plataforma dos anos 90 costumavam ser.

Outra coisa que vai te fazer pensar são os puzzles. Sim, temos momentos puzzle no jogo, meio ao estilo Bomberman, sabe? Fiquei feliz por isso, porque eu sinto muita falta dessa jogabilidade que lembre Kirb'y Adventures e todos os jogos que eu citei, pois é ótima para dispositivos móveis.

Funciona offline

A mais importante das funcionalidades. Porque o jogo pode ser lindo, muito divertido, mas de nada adianta se eu estiver presa no trânsito infernal de fim de tarde, e tiver que gastar meu 3G/internet/créditos para me divertir.

Não faz sentido que com a tecnologia de hoje, muitos jogos mobile não tenham modo offline. Diminua as funções quando offline e aumente quando online, simples! Mas, felizmente, Starlit Adventures quando offline é 100% funcional, o que faz você olhar o jogo com muito mais carinho.

Veredito

São 64 fases divididas por 8 mundos, além dos modos Desafio e Torre Infinita. Com sistema de gastar vidas a cada jogatina, elas recarregam a cada 15 minutos, um tempo justo e que incentiva você a jogar mais, diferente de outros jogos (é com você mesmo, Pokémon Shuffle).

Você ainda pode se conectar ao Facebook para trocar figurinhas com os amigos, competir. O jogo tem sistema de microstransações tal como todo free-to-play, mas isso não tornou a minha jogatina menos divertida.

Resumindo: Starlit Adventures é simpático e amigável, e deve muito pouco ou quase nada aos jogos desenvolvidos lá fora. É experiência de videogame direto no celular/tablet.




Disponível para: iOS, Android
Tamanho: 87MB
Mais informações em www.starlitadventures.com

Sobre Bruna

Nerd preguiçosa, pseudo metalhead, cristã, metida a jornalista, mas formada em publicidade. Faz-tudo, sofre-com-tudo, nunca-dorme-direito. Expert em virar criança com Pokémon e Saint Seiya.

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu recado! Mas lembre que spams, ofensas e comentários anônimos não serão aprovados.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.