Qual foi a última música que você ouviu em 2015? E a primeira de 2016?


Sou cristã. Evangélica, na verdade. Mas para além disso eu não tenho nenhuma crendice ou ritual em especial.. Exceto por um. Que tem a ver com a música, claro, porque essa sou eu. Sempre gosto de escolher a última música que eu vou ouvir num ano X, e a primeira do ano Y seguinte. Faço isso não é de hoje, creio eu que é desde 2008. Avantasia, Laura Pausini, Céline Dion, Sonata Arctica, Florence + The Machine.. É um pouco do que entrou na roda nesse meio tempo.

E para fechar 2015, resolvi ir de Tarja Turunen:


Tal como eu disse na retrospectiva, 2015 foi um ano super 50/50 pra mim. Não tive motivos absurdos de felicidade extrema (ter o meu diploma finalmente em mãos entre as exceções), mas também não tive motivos absurdos para dizer que 2015 foi um ano de bosta, até porque não foi. Não totalmente. E essa música da Tarja traduz direitinho o sentimento que eu trouxe comigo para 2016: fechamento de ciclos, deixar coisas e pessoas desagradáveis para trás, afinal essa é a vida onde a gente muda, muda, e mudar é a única saída.

Tarja Turunen é quase um sétimo Vingador versão clássico-rock. É o exemplo perfeito dessa fase na qual eu me encontro, uma fase para se libertar, crescer, ser feliz. Por isso "Never Enough" mexe tanto comigo nesse aspecto, ainda mais porque vai ter álbum novo da Tarja esse ano, talvez entre agosto e setembro (e por favor, que seja em 6 de agosto pra eu morrer no aniversário). Então toda ansiedade não define.


Já para entrar 2016, resolvi sacar um destaque de 2015:


Se a música da Tarja define 500% do sentimento 2015, "My God-Given Right" do Helloween define 500% do sentimento que eu quero construir em 2016. Lutar pelo que se gosta, acreditar, confiar nesse direito ao sucesso por causa de um cérebro que teve sua cota de sofrimento, a letra diz tudo isso e eu concordo 100% no mínimo. Ela ainda dá até outro recado: eu sei que posso, eu tenho um plano. E eu tenho mesmo. Claro, ao mesmo tempo que bate a esperança pela nova chance, bate a insegurança porque o cérebro do ser humano tem essa tendência de auto-sabotagem.

Ainda tem muita água pra rolar. O mês mal começou, o ano mal começou. Mas no que depender de trilha sonora eu já me coloquei no caminho da motivação pra não perder o foco, porque nós andamos num momento do mundo que é fácil ficar perdido(a), sabe? Tanta informação, tanta pressão por causa de tudo, a começar pelas pressões que você cria a sua própria cabeça. É um processo no qual cada pessoa tem a sua forma de lidar, desde muito complicadas ou assim, bobas feito as minhas.

Mas e aí, a pergunta te 1 milhão de reais em barras de ouro que valem mais do que dinheiro:

Qual foi a última música que você ouviu em 2015? E a primeira de 2016?

Sobre Bruna

Nerd preguiçosa, pseudo metalhead, cristã, metida a jornalista, mas formada em publicidade. Faz-tudo, sofre-com-tudo, nunca-dorme-direito. Expert em virar criança com Pokémon e Saint Seiya.

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu recado! Mas lembre que spams, ofensas e comentários anônimos não serão aprovados.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.