Em novembro de 2005 vinha ao mundo um novo console da Microsoft. Com a missão de impulsionar o legado do antecessor e se tornar mais popular, entrando de vez na disputa pela preferência, nascia o Xbox 360.

A Microsoft foi ousada com seu novo aparelho e colocou de vez que seria um mundo HD. Seu principal concorrente viria depois e seguindo a mesma tendência. Apenas a Nintendo manteve o padrão antigo e mesmo assim fez bonito com muitos jogos do Wii.

O Xbox 360 foi um divisor pra mim que, assim como a maioria dos brasileiros, cresceu com o PlayStation e PlayStation 2 de mãos dadas com o Jack Sparrow. Partir para o concorrente e deixando o amigo Jack para trás, enquanto meus amigos e colegas continuavam de mãos dadas com o Jack e o novo amigo, foi uma fase nova.

Master Chief fez e muito, sua parte.
Enquanto rolava a guerra de exclusivos, eu apenas queria jogar diversos multiplataformas que ele possui e jogar com meus amigos, que afinal, estavam na Live. Apenas os da internet estavam no PlayStation 3. Minha expectativa era jogar os Darksiders, Bayonetta, Street Fighter IV e Hokuto no Ken Musou. Darksiders II comprei com o console, enquanto Bayonetta consegui para o futuro Play 3. Street Fighter a Microsoft me deu por meio do Games With Gold e a saga de Kenshiro, bem, infelizmente não consegui comprar.

O inicio de vida do console foi conturbado e passou pelas temidas 3RL: 3 Red Lights, ou aqui, as 3 luzes vermelhas da morte. Aparelhos pegos com o problema nunca mais voltaram a funcionar, era one hit K.O. Isso fez com que novos modelos fossem lançados e, ao ver que a máquina não dava mais problemas, tornou-se o gigante que marcou a sétima geração.


A fabricação nacional acabou sendo outro marco histórico do Xbox 360 aqui no Brasil. além de tirar a preferência do PlayStation, por mais que o Jack tenha sido muito responsável, ao resolver fabricar o console na Zona Franca de Manaus, não sou deixou o valor acessível, mas como mostrou que os rivais seriam obrigados a se mexer. Fora o incrível suporte ao consumidor que segue até hoje no país.

Ao lado de The Stig, voltei a pilotar carros no Forza 4. Com companheiros como Marcus Fenix (Gears of the War) e o mito, o homem, a lenda, Master Chief (Halo), encarei diversas aventuras na Terra e no espaço, no presente e no futuro. Em meio à essas aventuras, também teve games para conquistar Rinoa e um tal Minecraft lembrando a infância de engenharia com LEGO.

Os 10 anos se passaram, segue agora o legado que vem sendo mantido e expandido com o Xbox ONE. ainda tenho muito a aproveitar no Xbox 360, mesmo com o ONE já mitando por aqui e Killer Instinct sendo a alegria, junto com os antigos companheiros.

Poucos jogos ainda serão lançados para o console, como alguns LEGO, mas, se descanso começou. Obrigado, Xbox 360.

Sobre Wakashimazu

Gamer de nascimento, guitarrista por insistência, se divide em três para dar conta de dominar o mundo da música, dos jogos e dos otakus, enquanto lida com a caixinha de surpresas chamada de vida. Pode ser encontrado no Last FM, na Live ou no fórum!

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu recado! Mas lembre que spams, ofensas e comentários anônimos não serão aprovados.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.