Nesse final de semana eu andei dedicando atenção a um eterno projeto pessoal sem fim, e ele sempre combina bastante com uns bons sons, por isso andei passando algumas músicas do HD antigo para o novo e que surpresa! Esbarrei em uma excelente música que não só combinou com o que eu queria, mas que há muito tempo mesmo eu não escutava.

Depois que o Roy Khan saiu do Kamelot eu simplesmente não consegui mais acompanhar a banda. Absolutamente nada contra o Tommy Karevik, longe de mim. É outro cantor de qualidade e que casa com a proposta de som da banda, mas é a história... Perdi o clique que eu tinha com as músicas dos caras, até me afastei também do metal sinfônico/melódico/power/progressivo, passei a ouvir mais death melódico, metalcore, groove e afins (ironia), e o Tommy não é ruim, mas é que o Roy é dono de uma das melhores vozes que o heavy metal já teve.

O cara sabia passar emoção sem esforço, além de ser extremamente teatral (digo no bom sentido) na hora de interpretar as letras. Do tipo dramático, sabe? É como se as músicas do Kamelot virassem peças de teatro como acontece no clipe de "Ghost Opera." O som do Monday Metal? Vamos de "The Great Pandemonium", faixa do último CD que o Roy gravou com a banda -Poetry For The Poisoned- que é obscuro, confuso, uma tradução do triste estado de saúde mental e emocional no qual o vocalista estava antes de deixar a música.

Nota: destaque que a música tem a participação pontual, mas muito bem encaixada do Bjorn "Strid", vocalista do Soilwork. Ficamos órfãos do Roy, mas pelo menos temos boa música para matar a saudade e soltar o play:


Letra

One more down by the book of babylon
One more down in accordance with my fate
One long drift across the lake of Avalon
One more trip that I must create

And my eyes sweep a shore that was always there
A blood red line through the sonisphere
I can't resolve where it's coming from
I sense it
The great pandemonium

[Just one, Just one more
Just one, Just one more day]

One more day by the pits of hell
Just one more when even yesterday was too late
One more thought that i have to sell
One last trick that you can debate

On a silent shore I confronted fear
I spoke to God but he wasn't there
The sun is down and the war begun
Assemble the great pandemonium

[Red light, Hit the break now
Red light, Hit the break now]

And my eyes sweep a shore that was always there
A blood red line through the sonisphere
I can't resolve where it's coming from
I sense it
The great pandemonium
On a silent shore I confronted fear
I spoke to God but he wasn't there
The sun is down and the war begun
Assemble the great pandemonium

Sobre Bruna

Nerd preguiçosa, pseudo metalhead, cristã, metida a jornalista, mas formada em publicidade. Faz-tudo, sofre-com-tudo, nunca-dorme-direito. Expert em virar criança com Pokémon e Saint Seiya.

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu recado! Mas lembre que spams, ofensas e comentários anônimos não serão aprovados.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.