Ninguém quer pagar a conta de Supergirl, e a série poderia parar no The CW

Game over ou continue?

Sabe Supergirl? Apesar do relativo sucesso em meio as críticas, a renovação da série ainda continua pendente. E com o impasse que anda impedindo de Kara Danvers conseguir o novo giro de aventuras, a série pode acabar ganhando nova casa.

O fato aconteceu antes com Constantine: o alto custo para manter a produção no ar. Segundo o TheWrap, por episódio a CBS paga quase 3 milhões de dólares a Warner Bros. Television, colocando a taxa de licença de Supergirl entre uma das mais caras do momento. Um relato similar foi revelado pela Variety na semana passada, embora sem muitos detalhes. Em março o presidente da CBS Les Moonves disse que a emissora estava muito feliz com as novas séries exibidas, e que os planos eram de que todas fossem renovadas. Pouco depois a CBS renovou 11 séries, mas nenhuma das novas produções estava na lista.

Desde o começo Supergirl tem sido observada de perto pelos críticos e a indústria. Alcançando ao longo da temporada de estreia metade da audiência da faixa demográfica de 18-35 anos, a mais amigável para a publicidade, a série que teve uma das estreias mais bem sucedidas da TV americana, pode acabar sendo a novata com a marca de alvo nas costas? Sim e não.

O relato vai além e diz que a CBS está tentando conseguir uma redução no preço da taxa de licença, de forma que assim a segunda temporada possa acontecer. Só que o prazo está se esgotando, pois a CBS e o The CW farão suas apresentações nos dias 18 e 19 de maio para anunciar a programação do outono americano. E que diabos o CW tem a ver com isso? Eu digo.

Primeiramente: não passa de especulação. Segundamente: há o rumor de que Supergirl pode "voltar para casa" ao ser passada para o The CW, que vem a ser uma joint venture entre a CBS e a Warner, uma mudança que realmente faria sentido. O público mais jovem do CW já tem, por exemplo, The Flash, que no crossover com Supergirl ajudou a levantar a audiência em 31%, o que seria outro plus. Mas o principal motivo para a mudança é óbvio: corte de custos, já que as séries do CW não tendem a ter os mesmos custos astronômicos com as taxas de licenças.

Mas aí é aquela história: vai acontecer? Se não acontecer, a CBS vai conseguir manter a série? Se a CBS não mantiver a série, terão outros interessados? Se Supergirl for para o The CW, será mantida a abordagem mais leve e carefree? Se nada der certo, é o fim de uma série que parece (e no fundo ainda é) promissora? Muitas perguntas, poucas respostas, algumas esperanças.

Sobre Bruna

Nerd preguiçosa, pseudo metalhead, cristã, metida a jornalista, mas formada em publicidade. Faz-tudo, sofre-com-tudo, nunca-dorme-direito. Expert em virar criança com Pokémon e Saint Seiya.

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu recado! Mas lembre que spams, ofensas e comentários anônimos não serão aprovados.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.