A Vilania no Cinema Brasileiro é tema de mostra no CCBB


Rio de Janeiro e São Paulo recebem, em julho, a mostra A Vilania no Cinema Brasileiro. Com mais de trinta filmes na programação, o projeto propõe uma reflexão sobre as representações do mal na cinematografia nacional. A mostra chega ao Centro Cultural Banco do Brasil do Rio no dia 1º de julho e segue em cartaz até 25 de julho. No CCBB de São Paulo a estreia está marcada para 06 de julho e a programação segue até 20 de julho.

Entre os filmes escolhidos estão clássicos do cinema brasileiro, como Essa noite encarnarei teu cadáver, Ópera do Malandro e Cidade de Deus. Na lista há títulos que representam vertentes e épocas distintas da sétima arte do Brasil e diretores como Paulo César Saraceni, Anselmo Duarte, Neville D’Almeida e Anna Muylaert. A diversidade na programação reforça a proposta de análise em torno da noção de vilania construída pelo imaginário cultural do país. 

O público terá acesso a um levantamento de personagens, situações e conflitos caracterizados como expressões do mal em sua intensidade máxima, proporcionado assim uma galeria de comportamentos vilanescos. A intenção é identificar e apresentar traços recorrentes, como a figura feminina feroz, diabólica e redentora ou as trágicas maledicências “pacíficas” do dia-a-dia - fugindo um pouco do óbvio, como a violência do estado autoritário. O que interessa são as outras vilanias, mais difusas, mais profundas, mais presentes no imaginário e nas práticas cotidianas brasileiras.

As diferentes manifestações simbólicas do mal na arte serão tema também de duas masterclass, como parte da programação da mostra. A intenção é buscar uma compreensão do comportamento ético-político brasileiro com mais nuances, debate providencial para o atual momento de transformação dos paradigmas da sociedade brasileira. Estarão presentes questionamentos que desafiam o público a entender qual a ideia de mal difundida, quais seus agentes típicos e como julgar a partir apenas do estereótipo ou da aplicação cega da letra da “lei” (civil, religiosa, bélica, ideológica).

As duas masterclass serão conduzidas pelo especialista em história do cinema, Hernani Heffner. Conhecido por ser umas das personalidades mais representativas da área de preservação de filmes no Brasil, Hernani hoje é conservador-chefe da Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e professor da PUC RJ. Na mostra A Vilania no Cinema Brasileiro ele atua como curador.

“Em uma sociedade como a brasileira, que se queria cordial e sem conflitos e que explodiu em preconceitos, perseguições e confrontações dos mais variados graus e matizes, trazendo à superfície interesses e perversões antes inconfessadas, urge compreender as raízes do "modo de ser" vilanesco brasileiro. Com sua longa permanência histórica e sua encarnação, não por gênios do crime, supervilões ou déspotas, mas pelo homem comum em seu cotidiano mais imediato.

Vilanias é uma mostra que nos oferece a oportunidade de pensar e repensar as "forças ocultas" que movem o país para abismos trágicos e os mecanismos para combatê-las. Como Curador o projeto me atraiu sobretudo, pela possibilidade de encontrar o "mal" lá onde ele nunca foi considerado e aquilatar a força repressora e destrutiva dos constrangimentos invisíveis que o acompanham em nossa cultura sempre muito mais dissimulada do que se imagina. “, afirma Heffner.

A mostra foi idealizada pela produtora Roberta Sauerbronn durante pesquisas para desenvolvimento do roteiro do longa-metragem “Meu Nome é Katia Flavia”, adaptado do sucesso de Fausto Fawcett. O filme narra as peripécias de uma anti-heroína pelas ruas do Rio de Janeiro dos anos 1980.

A construção de uma protagonista com ares vilanescos trouxe a reflexão que dá tema à mostra. Roberta assina a curadoria com Hernani Heffner, e divide a coordenação geral com Alessandra Castañeda. A Vilania no Cinema Brasileiro tem produção da Saraguina Filmes e da Jurubeba Produções, conta com patrocínio do Banco do Brasil por meio da Lei Rouanet e é realizado pelo Centro Cultural Banco do Brasil.


SERVIÇO:
A Vilania no Cinema Brasileiro

CCBB Rio de Janeiro
Data: de 1º de julho a 25 de julho
Segunda, quarta, quinta e sexta: sessões às 17h e às 19h
Sábados e domingos: Sessões às 15h,17h e 19h
OBS: Nos dias 03, 13, 15, 17, 21, 23 e 24/07 às sessões das 19h serão antecipadas para às 18h30. As mudanças ocorrem devido à duração dos filmes.
Ingressos: R$ 10,00 (inteira), R$ 5,00 (meia). Funcionários e clientes do BB, estudante, sênior acima de 60 anos, professor, PNE e usuários dos convênios Cartão Metrô recarregável, SESC, clube de assinantes O Globo, PUC e Clasp pagam meia-entrada, mediante apresentação de documento comprobatório.

CCBB São Paulo
Data: de 6 a 20 de julho
De quarta a segunda: Sessões às 15h, 17h e 19h
Sábado 09 de julho: Sessão de curtas a partir das 14h
OBS:
Nos dias 07, 11, 17/07 às sessões das 19h serão antecipadas para às 18h30 devido à duração dos filmes.
No dia 06 de julho a sessão das 15h será antecipada para às 14h30.
No dia 09 de julho a sessão das 15h será adiada para às 15h30.
As mudanças ocorrem devido à duração dos filmes.
Ingressos: R$10,00 (inteira), R$5,00 (meia). Clientes e funcionários do Banco do Brasil, estudantes, professores da rede pública, pessoas com deficiência e maiores de 60 anos pagam meia-entrada, mediante apresentação de documento comprobatório.


Masterclass com Hernani Heffner – Rio de Janeiro
Data: 16 de julho
Horário: 17h
Entrada Franca

Masterclass com Hernani Heffner – São Paulo
Data: 09 de julho
Horário: 17h
Entrada Franca

Via Agência Galo

Sobre Bruna

Nerd preguiçosa, pseudo metalhead, cristã, metida a jornalista, mas formada em publicidade. Faz-tudo, sofre-com-tudo, nunca-dorme-direito. Expert em virar criança com Pokémon e Saint Seiya.

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu recado! Mas lembre que spams, ofensas e comentários anônimos não serão aprovados.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.