Nota: o post a seguir tem pequenos spoilers de Batman: Rebirth #5.

A iniciativa DC Rebirth vem se destacando não só nas vendas, mas nas ideias que mexeram até com a vida do Cavaleiro das Trevas. Em Batman: Rebirth, Bruce Wayne enfim achou um sucessor com poderes, dedicado à cidade de Gotham e seus habitantes tanto quanto o próprio Bruce é desde criança.

Mas, como em toda a história clássica, o poder subiu a cabeça de "Gotham" e tornou o herói e aliado em ameaça.

A virada na trama é clichê, sim. Bastante. E deixa o futuro do Batman e sua cidade na balança. Mas não é isso que o escritor Tom King e o artista David Finch fizeram para deixar os fãs falando.. O que eles aprontaram foi tornar um sonho nerd de muita gente em realidade: Alfred Pennyworth virou o Batman!


A ameaça


Fazendo um Bat-drible nos spoilers, não vou contar detalhes maiores da HQ, a origem ou os poderes do tal mascarado Gotham, mas fica a dica de leitura. Mas é claro que eu vou explicar.

Todo mundo sabe que o Batman é muita coisa, mas uma ele não pode: voar por meios naturais. O que acaba sendo um belo contratempo quando o morcegão precisa lutar com quem pode. Assim termina a edição #4 de Batman: Rebirth, com Gotham entrando no modo mais louco possível e saindo para destruir Gotham (momento inception), agora que o personagem não mais considera a cidade digna de salvação.

Com um maluco desses à solta, Bruce pede ao fiel mordomo um favor dos grandes: vestir-se como Batman, ir atrás de Gotham e conseguir ganhar tempo até Bruce elaborar um plano para nocautear o ex-herói.


Alfred aceita, óbvio, lembrando de quando prometeu aos Waynes cuidar do garoto quieto caso alguma coisa acontecesse... Anos depois aqui estamos, com Alfred saindo para encarar um semideus, mesmo que "de mentirinha."


A hora da verdade


David Finch, Sandra Hope, Matt Banning e Scott Hanna fazem Alfred relembrar imagens dos melhores artistas da DC a desenharem Bruce Wayne enquanto Alfred segue o seu monólogo dirigindo o Batmóvel até o local onde Gotham está, acertando o semideus à 200 milhas por hora.

Um pouco exagerado, mas efetivo: com Gotham atordoado pela colisão com o agora destruído Batmóvel, Alfred consegue criar a distração que Bruce precisa e até manda um "cidadãos de Gotham, o Cavaleiro das Trevas voltou!"

Gotham não demora a perceber que o Batman na sua frente não é o Batman que lhe treinou para ser um superherói, mas antes que algo possa acontecer a Alfred, ele está livre para fazer a melhor saída da sua carreira:


A luta entre Batman e Gotham começa logo depois, mas é um caso de lealdade e amizade muito bacana da parte do Alfred, mantendo a promessa de olhar pelo menino Bruce mesmo ele não sendo mais menino, e mesmo colocando a sua própria vida em risco.

O mundo precisa de mais uns Alfreds.

Sobre Bruna

Nerd preguiçosa, pseudo metalhead, cristã, metida a jornalista, mas formada em publicidade. Faz-tudo, sofre-com-tudo, nunca-dorme-direito. Expert em virar criança com Pokémon e Saint Seiya.

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu recado! Mas lembre que spams, ofensas e comentários anônimos não serão aprovados.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.